Críticas por Pablo Villaça

Poster: As Loucas Aventuras de James West
Datas de Estreia: Nota:
Brasil Exterior Crítico
09/07/1999 30/06/1999
Distribuidora

 

 


As Loucas Aventuras de James West
Wild Wild West

As Loucas Aventuras de James West

Dirigido por Barry Sonnenfeld. Com: Will Smith, Kevin Kline, Kenneth Branagh, Salma Hayek, M. Emmet Walsh e Ted Levine.

Apenas como exercício, tentemos visualizar a reunião na qual o conceito de As Loucas Aventuras de James West foi discutido. Estamos em uma grande sala na Warner Brothers, quando um Vice-Presidente-de-qualquer-coisa (os Estúdios são cheios de `VPs`) diz, depois de pensar por algum tempo: `Vamos colocar Will Smith em uma aventura repleta de efeitos visuais`. `Boa idéia! Mas tem que ser em uma comédia, pois O Inimigo do Estado não rendeu tão bem assim`, pondera outro. `Já sei! A parceria com Jeff Goldblum e Tommy Lee Jones rendeu bons resultados nas bilheterias. Que tal arrumarmos um novo companheiro para ele?`, sugere um terceiro executivo. `Hum... aquele Calvin Kline se saiu bem naquele filme inglês. Até ganhou um Oscar, se não me engano...`, completa o tal Vice-Presidente. Ele está se referindo a Um Peixe Chamado Wanda - e a Kevin Kline.

`Peraí! Já que vamos colocar Will Smith em parceria com alguém, por que não chamarmos o mesmo diretor de Homens de Preto? Eles parecem ter se dado bem nesse filme`, raciocina o faxineiro, que passava por ali. `Sim, sim. Mas temos que ter efeitos visuais!`, insiste o VP. `Vamos ter! Na verdade, acabo de me lembrar que nós detemos os direitos sobre uma velha série de televisão que se presta exatamente a isto! Afinal de contas, as adaptações de Missão: Impossível e Perdidos no Espaço se deram bem nas bilheterias!`. Aplausos de todos os outros presentes na sala. `E o vilão?`, lembra alguém. `Vamos contratar alguém de peso. De preferência algum ator que tenha reputação de ser bom de serviço, para que ninguém acuse o Estúdio de não se preocupar com a qualidade dos filmes`. Mais aplausos. `Arnold Schwarzenegger!`, sugere o Vice-Presidente. Olhares encabulados dos demais. `Bem, senhor... lembre-se de Batman & Robin`. O Vice-Presidente bate três vezes na mesa, sendo acompanhado pelos outros.

`Que tal Harrison Ford?`, lembra o faxineiro. `Caro demais. Sabe... o que nós precisamos é de um inglês. Todo mundo sabe que os ingleses são ótimos. Que tal Kenneth Branagh?`. `Ele é irlandês`, informa a recepcionista, que viera trazer o café. A moça é prontamente enxotada da sala. `Mas ele já fez Shakespeare. Isso é que interessa`, determina o VP. `Muito bem: então será uma comédia baseada em um antigo seriado, protagonizada por Will Smith e Calvin Kline, dirigida por Barry Sonnenfeld e o vilão será Kenneth Branagh. Falta alguma coisa?`, diz um executivo, tomando nota. `Os efeitos visuais!`, grita o Vice-Presidente. `A mocinha.`, sussurra o faxineiro. `Não temos mais dinheiro. Só com elenco já gastamos uns 50 milhões`, assusta-se alguém. `Podemos contratar aquela moça gostosa que fez aquele filme do Tarantino. O dos vampiros`, sugere o assistente do Vice-Presidente, que saíra para ir ao banheiro.

`Selma-alguma-coisa... Boa idéia!`, elogiam os demais. Eles se referem a Salma Hayek e a Um Drink no Inferno, de Robert Rodriguez. `Acho que já temos todos os elementos`, conclui uma executiva. `E os efeitos visuais?`, protesta o VP, reentrando no aposento. `Ah, vamos colocar muitas explosões, tiroteios, mais explosões, maquiagens elaboradas e, para completar, enormes explosões. Podemos até acrescentar uma taturana gigante na história!` `Não... uma tarântula. Sim, sim... Uma tarântula mecânica que custará alguns milhões de dólares. O pessoal da Light & Magic vai adorar!`.

`Maravilha. Já podemos encerrar a reunião.`, decreta o Vice-Presidente, calçando os tênis que usa na sala de ginástica do Estúdio. `Errr... e a história?`, pergunta o faxineiro, timidamente. Todos o fitam longamente. Finalmente, alguém quebra o silêncio: `Liguem para o Jon Peters. Ele conhece alguns roteiristas barateiros que aceitam trabalhar em equipe - assim o script fica pronto mais rápido.` E virando-se para o faxineiro: `Quanto a você... considere-se transferido para o setor de animação.`

Reunião encerrada.
``

11 de Julho de 1999

Sobre o autor da crítica:

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.